Recursos de autogestão

Reconhecer uma depressão

Obter ajuda

FAQ - perguntas frequentes

Recursos de autogestão

Reconhecer uma depressão

Obter ajuda

FAQ - perguntas frequentes

O que você precisa saber como clínico geral?

A depressão afeta cerca de uma em cada quatro mulheres e um em cada oito homens em algum momento de suas vidas. Cerca de 10% dos pacientes de cuidados primários sofrem de depressão.

A depressão envolve mudanças no comportamento (por exemplo, abstinência, fala lenta) e sentimentos (por exemplo, sentimentos de exaustão e culpa). Estes sintomas são sempre o resultado de uma alteração da função cerebral: a depressão está ligada a perturbações nos sistemas serotonérgicos, noradrenérgicos e da hormona do stress. Até hoje, no entanto, não há nenhum marcador biológico que possa ser usado para fazer o diagnóstico clínico.

Em relação às causas da depressão, é importante distinguir entre uma vulnerabilidade à depressão geneticamente determinada e uma vulnerabilidade adquirida através de eventos e circunstâncias de vida. Às vezes, até eventos positivos da vida (como o início de férias ou uma promoção) podem desencadear um episódio depressivo. Um episódio depressivo pode tambem começar sem um fator desencadeante identificável. Há uma tendência de insistir demais em tais fatores desencadeantes externos e de minimizar os fatores biológicos, o que leva ao risco de que a depressão não seja cuidadosamente diagnosticada como um distúrbio clínico e que não seja tratada de acordo com as diretrizes.

A depressão afeta profundamente a qualidade de vida. Isto é confirmado pelo fato de que nenhum outro transtorno está tão intimamente ligado ao suicídio, resultante de sofrimento insuportável e desespero. A qualidade de vida e o prognóstico do paciente são ainda mais afetados se a depressão for acompanhada por outras doenças.

Prévention Dépression Luxembourg