Comunicação adequada

A cobertura feita pelos meios de comunicação social não é a principal razão para o suicídio, mas pode servir de estímulo desencadeador durante uma fase crítica da doença.

Algumas características dos relatos tornam a imitação mais provável:

  • Relato detalhado repetitivo do suicídio;
  • Maior conteúdo emocional:
  • Suicídio de uma celebridade;
  • Relatos na imprensa escrita;

Não se pretende com isto dizer que o suicídio não deve ser discutido nos meios de comunicação. Porém, é preciso ter-se em conta que o risco de uma pessoa se identificar com um suicida aumenta quando:

  • Se chama a atenção para o suicídio, tornando-o tema de capa e usando manchetes e fotos;
  • Termos como "suicídio" aparecem nos títulos;
  • O método de suicídio é descrito em pormenor;
  • Uma cena bastante acessível é descrita ou até glorificada;
  • O contexto social, a identidade e os motivos são descritos de forma pungente;
  • O suicídio é apresentado como algo positivo ou até glorificado e romantizado;
  • O suicídio é apresentado como completamente incompreensível ou inevitável.

O risco diminui quando:

  • São sugeridas soluções alternativas para os problemas e as crises;
  • O suicídio é descrito como uma doença que pode ser tratada com sucesso;
  • Se inclui informação acerca dos antecedentes clínicos;
  • É procurada a opinião de especialistas;
  • São indicados contactos e linhas de apoio;
  • É relatado o trabalho realizado por profissionais.
frases para evitar
Prévention Dépression Luxembourg